A manutenção enquanto pilar fundamental de uma unidade hoteleira

A manutenção enquanto pilar fundamental de uma unidade hoteleira

De que forma o seu percurso profissional o levou até à manutenção hoteleira?

O meu pai trabalhava na construção civil e desde cedo comecei a ganhar interesse por trabalhos de bricolage, e acho que até tinha algum jeito para isso. Gostava de me aventurar a fazer as coisas básicas numa casa e que dão bastante jeito saber, por exemplo, pintar, trocar torneiras, fechaduras, ajeitar interruptores. Eu comecei a trabalhar, ainda não tinha 15 anos, numa empresa de artes gráficas. Depois de 32 anos a empresa fechou e fui trabalhar para uma empresa de ferragens.

Nessa altura, muitos clientes perguntavam se conhecia alguém que fizesse trabalhos de bricolage, para montar ou aplicar o material que compravam na loja, e eu disponibilizava-me sempre para o fazer, fora do horário de trabalho. Entretanto, apareceu a possibilidade de poder ir para o hotel e foi uma oportunidade que não podia negar.

Como é o dia-a-dia de um responsável pela manutenção de uma Unidade Hoteleira?

Todos os dias são uma incógnita. Desafios diferentes, situações diferentes e pessoas diferentes. Muitas vezes tenho de resolver o problema com os próprios clientes dentro do quarto, se for uma situação urgente e relativamente rápida. Temos de nos saber adaptar e tentar fazer o trabalho da forma mais eficiente possível. Nos últimos anos, acabei por ficar surpreendido comigo mesmo e com a capacidade de resolução de alguns problemas e situações que me aparecem no dia-a-dia do trabalho. Normalmente é preciso cursos para isto e para aquilo e eu nunca fiz nada disso. Os meus cursos foram tirados na adolescência com o meu pai e agora no Youtube, com tentativa e erro, onde acabei por aprender muita coisa do que sei hoje. Antes de fazer seja o que fosse, sempre que tinha de arranjar alguma coisa e tinha dúvidas ou era a primeira vez que o fazia, eu pegava no telemóvel e tirava uma fotografia. Depois fazia mais um passo, tirava mais um parafuso e tirava outra fotografia. E assim sucessivamente, para não perder o fio à meada.

De que forma descreve a relação dos restantes departamentos com a Manutenção na dinâmica de atividade da Unidade Hoteleira?

Eu trabalho em dois hotéis da mesma cadeia e cada um deles tem grupos no WhatsApp. Normalmente as situações que precisam de resolução são sempre publicadas nesse grupo, quer pela Diretora, quer pelos responsáveis de cada setor: receção, housekeeping, etc. Por isso mesmo, eu ando sempre com o telemóvel perto de mim. No entanto, há momentos em que estou a fazer um trabalho mais minucioso e que, por algum motivo, não estou atento ao telemóvel e às notificações dos grupos. Nestes casos, normalmente, ligam-me e avisam-me da situação.

Se eu não estiver em horário de trabalho, comunicam à Diretora ou à Responsável do housekeeping e depois elas ligam-me e, quando a situação é urgente, tenho de me deslocar ao hotel quase instantaneamente, para tentar minimizar os constrangimentos.

Em que medida é que a higiene e limpeza impactam o trabalho de manutenção?

É imperativo ter uma relação próxima com as pessoas responsáveis pelo housekeeping. São importantes antes e depois de fazer qualquer trabalho de reparação ou montagem. Tento sempre fazer o mínimo de sujidade possível de forma que as colegas não tenham tanto trabalho, mas, por norma, é sempre necessária uma limpeza posterior. Há alguns procedimentos e ações por parte do housekeeping que, ao serem feitos corretamente e regularmente, previnem avarias, entupimentos e outras situações. Depois também há procedimentos de desinfeção e higienização recorrentes, de forma a prevenir a acumulação e propagação de vírus e bactérias.

Considera a manutenção um pilar fundamental no bom funcionamento de uma Unidade Hoteleira?

Sem dúvida que sim. Não há hotel nenhum que funcione com lavatórios entupidos, com luzes fundidas, com tampas da sanita soltas, com o ar condicionado a fazer barulho ou a pingar, com o mecanismo do cartão das luzes avariado. Se não tivermos os quartos em condições, não podemos alugar o quarto ao cliente e, consequentemente, não faturamos. E o mesmo é válido para quando os quartos já estão alugados. A resposta da manutenção tem de ser rápida e eficiente, de forma a não comprometer a estadia do cliente. Ninguém quer que existam problemas, mas imprevistos acontecem e, se é necessário reparar alguma coisa num quarto que esteja ocupado, a resposta da manutenção tem de ser imediata, de forma a não comprometer a opinião do cliente em relação à estadia e bom funcionamento da Unidade Hoteleira.

Voltar para o blogue
  • A importância de higienizar as mãos

    A importância de higienizar as mãos

    A boa prática regular de higienização das mãos é vital na prevenção da propagação de infeções, com o consequente impacto positivo no combate à disseminação de doenças. Lavar as mãos...

    A importância de higienizar as mãos

    A boa prática regular de higienização das mãos é vital na prevenção da propagação de infeções, com o consequente impacto positivo no combate à disseminação de doenças. Lavar as mãos...

    Ler notícia
  • ECOX PRO alarga oferta sustentável para volumetria de 850 ml

    ECOX PRO alarga oferta sustentável para volumet...

    O número de novos utilizadores tem aumentado significativamente e todos os meses recebemos pedidos de informação de vários setores que procuram soluções mais sustentáveis, afirma Beatriz Bandeira, Business Development Manager...

    ECOX PRO alarga oferta sustentável para volumetria de 850 ml

    O número de novos utilizadores tem aumentado significativamente e todos os meses recebemos pedidos de informação de vários setores que procuram soluções mais sustentáveis, afirma Beatriz Bandeira, Business Development Manager...

    Ler notícia
1 de 2