Importância das cores nas IPSS´S

07/09/22
Importância das cores nas IPSS´S

A finalidade da existência de um sistema organizado pelo designado código de cores na higienização de uma IPSS prende-se com um conjunto de benefícios que convergem na prevenção da contaminação cruzada, revelando-se determinante na promoção de um clima de bem-estar e segurança dos seus utentes.

As vantagens em desenvolver e integrar códigos de cores, contribuem ainda para diferenciar tarefas (ou trabalhos) específicos, ajudar na superação da barreira do idioma, assim como, na simplificação da formação/capacitação dos colaboradores. Prevenir fenómenos de contaminação cruzada é trabalhar no sentido de mitigar a proliferação de microrganismos e, por conseguinte, combater a propagação de doenças que em última análise permite o controlo de infeções.

Limpeza e Desinfeção: diferenciação de conceitos 

Reveste-se de importância compreender a diferenciação entre dois conceitos que são de grande relevância no âmbito da economia social, falamos de “limpeza” e “desinfeção”. A limpeza é a remoção de toda a sujidade, partículas ou outro material estranho e indesejável, usando água e detergente, e a ação mecânica de lavar ou esfregar. Mantém o asseio e a higiene do ambiente. Por seu lado, a desinfeção é o processo que reduz o número de microrganismos a um nível em que eles não apresentam risco para a saúde das pessoas e animais. A eficácia de uma ação de desinfeção depende, em grande medida, de uma adequada ação de limpeza. Uma das regras estruturais envolvida numa ação de higienização, compreende limpar sempre da zona mais limpa para a mais suja (ou contaminada). Esta simples boa prática reduz o risco de contaminação cruzada.

Código de cores

Ainda que em termos técnicos não exista propriamente um “código de cores”, o que existem são referências de organização que agrupam o risco de contaminação, os quais correspondem a um tipo de cor, habitualmente vermelho, amarelo, verde e azul.

Convencionou-se, de um modo geral, que o vermelho é aplicado às áreas de maior risco de contaminação cruzada e propagação de infeções; o amarelo para a limpeza de objetos, superfícies e áreas de menor risco; o verde para áreas onde os alimentos são manuseados e preparados; e, o azul às áreas de menor risco, como áreas comuns e para limpeza geral de superfícies.

Um exemplo comum onde é possível encontrar este código de cores é nos panos de microfibras usados na higienização das instalações de uma IPSS. Compreender em primeiro que uma microfibra consiste num produto têxtil fabricado à base de fibras ultrafinas que lhe conferem propriedades superiores ao resto dos tecidos.

As microfibras são a garantia de uma limpeza em profundidade, o que confere literalmente a capacidade de “arrancarem e absorverem a sujidade”. 

As microfibras não deixam pelos nem fios, evitando uma segunda passagem. Estes panos com caraterísticas técnicas próprias são destinados a uma limpeza especializada, possuindo as cores alinhadas com o código de cores, e, possibilitando assim, que seja alcançado o conjunto de vantagens inicialmente apresentado.